Missing You (Franz Ferdinand)

– Onde estou? – Perguntou a moça, olhando à sua volta.
– Você não está. – Ouviu.
– Onde ele está? – Divagou ela, reconhecendo o sonho que já tivera tantas noites antes.
– Ele não virá.
Ela tinha pesadelos. Pesadelos variados, porém sempre pesadelos. Deixava os sonhos bons para quando estava acordada. Ou ao menos confortava-se com essa ideia.
Porém,
ele sempre estava lá. Antes, quando entendia menos das coisas, era ele o motivo de seu medo. Era ele o terror do pesadelo. Porém agora, sentia em si um vazio inexplicavelmente pior do que o medo. O vazio que temia mais do que qualquer outra coisa. Aquele que estava sempre à espreita, e que ela sentia vazar nas bordas. O que ela sabia que viria.
Ele se foi.
E de repente, o medo que ela uma vez sentira do rapaz tornou-se arrependimento. Porque agora
não havia mais tempo a perder. Não havia mais tempo. Não havia mais nada.
O que fazer agora? Quem a tiraria da inconsciência? Haveria alguém além
dele para arrancá-la do torpor? Lembraria-se ela dele quando acordasse? Nada mais era extremo. O meio termo era como um coma. Ela estava em coma. Uma inconsciência extremamente branca, onde desenho nenhum perduraria.
– Fique tranquila. Foi só um sonho… – Sussurrou a voz sorridente enquanto tudo desfazia-se na chama fria.

http://letras.ms/VpG

Anúncios

Sobre Marina Rentes

A antítese ambulante.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Missing You (Franz Ferdinand)

  1. Mr WordPress disse:

    Hi, this is a comment.
    To delete a comment, just log in, and view the posts’ comments, there you will have the option to edit or delete them.

  2. priscilabellini disse:

    Eu amo seus textos, amo você e amo tudo o que você escreve, mas esse texto me deixou com um arrepio, awn. Não sei como consigo ter uma escritora dessas entre meus contatos (e casada comigo), oi.
    Muito bom, marida, e retratou o vazio existencial que pode haver na perda ou na presença de alguém. Não sei explicar ao certo, mas o texto me passou a ideia de querer abraçar o vazio. E achar um medo, um assunto até mesmo no não-ser, no sonho ou em alguém que não está lá. Parabéns *-*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s